Ex-prefeito de Juazeirinho é condenado e multado em R$ 80 mil pela Justiça Federal





A maré de azar parece não querer se afastar do ex-prefeito, Bevilacqua Matias (2009 – 2012), pois ele acaba de sofrer mais um viés perante a Justiça. Desta vez, ele foi condenado numa ação civil pública de improbidade administrativa de número 0000683-76.2012.4.05.8201, movida pelo Ministério Público (MP) e teve os direitos políticos suspensos por 5 anos de acordo com decisão do juiz da 6ª Vara Federal de Campina Grande, Gustavo de Paiva Gadelha.

De acordo com a sentença, Bevilacqua terá que ressarcir do dano causado ao erário, solidariamente, o valor de R$ 80.020,78; perda das funções públicas que estiver exercendo e suspensão dos direitos políticos por 5 anos

Além disso, o ex-prefeito juazeirinhense fica proibido de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 5 anos e pagamento de multa civil.

Também fazem parte deste processo, o vereador, Jorge Ramos (PMN) e sua esposa, Silvana Falcão Ramos, bem os funcionários da Prefeitura na época, José Roberval da Silva e Edglei Amorim.

Mais uma condenação

Recentemente, Bevilacqua teve sua prestação de contas do exercício 2012 reprovada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e, além disso, a corte determinou que ele devolvesse aos cofres do município uma quantia superior aos R$ 4,7 milhões.

Vale salientar que ele tem pretensões de disputar a Prefeitura novamente em 2016 e que pode recorrer das recentes decisões que o condenaram.

A reportagem tentou manter contato telefônico com o ex-prefeito para ouvir sua versão, porem ele não atendeu nossas chamadas.




cariri em foco

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Homem é executado com vários tiros em Assunção

Jovem assunçãoense morre vítima de acidente de moto na PB-238 entre Assunção e Taperoá

Insegurança: Mulher é atingida por tiro no rosto em tentativa de homicídio em Assunção