Sistema de produção de algodão orgânico implantado no Cariri deve ser adotado pelo RN


O sistema de produção de algodão orgânico branco e colorido de base familiar adotado pela Paraíba, deve ser adotado pelo Estado do Rio Grande do Norte.

Os primeiros contatos para conhecer a metodologia de cultivo e o sistema de comercialização aconteceram, nesta semana, durante reunião e visita aos produtores rurais por integrantes da Emater-RN.

A ação foi acompanhada por técnicos da Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca.

A Emater-RN é mais um órgão de assistência a agricultores familiares que busca parceria com a Empaer no campo de produção de algodão orgânico, a exemplo do que já ocorre com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) que levou a metodologia desenvolvida na Paraíba para implantar em países latino-americanos.

Recebidos pelo diretor de assistência técnica de extensão rural, Jefferson Morais, e pelo gerente de planejamento e operações, Cristiano Campello, o diretor geral da Emater-RN, César José de Oliveira, ouviu explicações sobre os trabalhos realizados junto aos produtores e, depois, visitou duas comunidades rurais onde ocorre o cultivo algodão com resultados satisfatórios.

Também participaram da reunião, os extensionistas, Ricardo Pereira e Eliézia Paulino.

“A Paraíba é referência na produção de algodão orgânico, por isso viemos conhecer de perto como o trabalho é realizado para, gradativamente, implantar utilizando o modelo da Paraíba que já deu certo”, comentou o diretor da Emater do Rio Grande do Norte. Ele ficou bastante entusiasmado com a metodologia de trabalho junto aos produtores, destacando a produção consorciada com outras culturas, com isso, agregando valor e garantindo mais renda. “A experiência servirá de referência para o nosso Estado, e vimos aspectos bastante positivos que são relevantes para o sucesso”, conclui.

Quadro atual
A produção do algodão orgânico branco e colorido, na atual safra, deve chegar a 308 toneladas de algodão em rama. São 437 agricultores participantes do programa espalhados em 63 municípios, com uma área de 595,7 hectares cultivados.

Todos têm o acompanhamento técnico dos extensionistas das regiões administrativas de Itabaiana, Guarabira, Campina Grande, Solânea, Areia, Serra Branca, Picuí, Patos, Itaporanga, Princesa Isabel, Pombal, Catolé do Rocha, Sousa e Cajazeiras.

Em maior destaque, o algodão orgânico branco variedade BRS 286 é cultivado em cerca de 350 hectares, com o manejo feito em consórcio com as culturas do milho, do feijão, do gergelim, de hortaliças, de frutíferas e de plantas nativas.

Em caso de ocorrências, após avaliações técnicas, são utilizados adubos naturais, como o extrato de algumas plantas e biofertilizantes.

Estão integrados neste Projeto Algodão Orgânico Paraíba os parceiros, Instituto Casaca de Couro, Embrapa Algodão, indústria Têxtil Norfil S/A, Coopnatural, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Sebrae, o Insa e Secretaria de Ciência e Tecnologia/Fapesq.


Blog do Guedes

Com Cariri da Gente

Sistema de produção de algodão orgânico implantado no Cariri deve ser adotado pelo RN Sistema de produção de algodão orgânico implantado no Cariri deve ser adotado pelo RN Reviewed by ´Blog do Erivaldo Guedes on 03:46 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.